09/02/2014

Apenas uma história de amor...


Sabe aquela sensação de amor, medo, angústia, sei lá o que mais...

Simplesmente dor. uma dor que dói mais fundo que tudo. A dor que seria o dez que você nunca quis dar, pois é! Na verdade, é difícil escrever, usar palavras, porque nada parece ser próximo o bastante para descrever isso. Você queria simplesmente ser indiferente a pessoa, mas sabe que ela é o maior presente que poderia ganhar. E aí, você quer bater nela, esbofetar-la, abraçá-la, mas acima de tudo, quer beijá-la... Beijar a pessoa e apenas dizer eu te amo.

Você quer cantar toda a letra de "Tô Nem Aí", mas só consegue cantar os versos "eu te dei todas as chances de ser um bom rapaz, mas fui vencida pelo cansaço". Você não consegue engolir nem o sonho de padaria que tanto gosta, parece algo inexplicável de descrever. Você quer escrever enquanto vê a foto da dita pessoa, mas, de repente, a foto some...

Enquanto a pessoa dorme, você escreve as palavras que insistem em sair confusas, em permanecer entaladas na garganta, doendo... Você fecha a porta do quarto e chora, deita e se controla para não soluçar, porque não quer que te escutem... Ele acorda e conversa com você, afinal, continuam amigos... Amigos, apenas bons amigos... A dor não cessa... Parece aumentar a cada segundo... Como vai ser agora?

Passa um filme em sua cabeça e nele você vê tudo que passaram juntos, o quanto se amaram, o quanto foram felizes... "Compartilhamos tantas alegrias, dividimos tantas tristezas, quando deixou de me amar?" Você se pergunta e já sabe a resposta...

Ele pede que você deite ao seu lado e apoie a cabeça em seu peito, apenas como amigo, ali, nos braços de quem você mais ama no mundo, você chega a imaginar que está tudo bem, mas sabe que não está, os momentos lindos e azuis que passaram juntos dará lugar a datas comemorativas ao longo do ano em que não encontrará essa pessoa ao lado, não ouvirá os  "parabéns" em seu aniversário vindos de quem ama, mas sim, de mais um amigo, não o verá nas festas da cidade, não o verá no Natal e não passarão o dia dos namorados juntos, pois é, a data que você sempre considerou puramente comercial, agora é mais um dia de solidão...

Isso mesmo, será um ano longo de pura solidão: só você e sua dor! você cochila rapidamente e quando abre os olhos tem vontade abracá-lo e beijá-lo, como fez inúmeras vezes... Aí, a vontade de chorar volta e percebe que ensopará o peito da pessoa, então decide levantar e deitar em outro lugar, você carregando consigo a dor número dez, uma ânsia de vômito que você nem sabia que era possível sentir, um frio e um peso na barriga, um nó na garganta e a vontade de chorar que te fez levantar dali, no entanto, você não chora, fecha os olhos e sente dor na alma, fica parada e decide esperar inutilmente a droga do sono aparecer.

Ele acorda e vem deitar ao seu lado novamente, mas você não consegue olhar em seus olhos, da mesma forma que no dia anterior não conseguiu por medo de chorar o que fora inútil, você prefere se afastar para poder deixar as lágrimas descerem, porque agora elas querem descer. Três palavras teriam dado um rumo diferente a essa história: "eu fiz isso" ou "eu sinto isso"... Mas agora não adianta mais, acabou mesmo, definitivamente. Não foi uma vírgula, foi um ponto final.

E você, bobamente se pergunta "será que tem volta?", mas você dá um sorriso triste e sabe que não: acabou o amor da outra parte, sua manias te afastam, seus gostos e até a fé, isso mesmo, a fé. Porque para ficarem juntos de novo, ele teria que escolher e renunciar muitas coisas, no entanto, nunca e jamais você afastaria alguém do Caminho de Jesus, aliás, quem você pensa que é para tentar competir com Cristo, com a Igreja, com a religião cristã que você tanto ama e defende? Seria prepotência e obra do maligno pedir isso...

Pedir que se afaste das pessoas que o tem feito bem, dos amigos, jamais faria isso! Essa não seria você, você não faria isso se te pedissem... Você ainda lembra de tantas músicas que escutaram juntos, da música cujo título é a forma que ele te chamava, tudo acabou. Pois é, as palavras terminaram e não consegui expressar minha dor...

Algumas pessoas passam a vida buscando um grande amor, eu encontrei o meu, não importa se não durou para sempre como acontece nos filmes, eu hoje posso dizer que, como diz a música, "o amor que esperei tanto tempo, encontrei quando te vi" e foram os melhores anos da minha vida e só tenho a agradecer a Deus por isso... Mas como diz a canção "minha alegria passou, só as lembranças de amor não passam"...

4 comentários:

  1. eu te entendo bem.sei como é sentir isso por alguem, e essa dor é cruel, derrepente nada parece maior que ela. eu sei bem, como é. nao conhecia seu blog, gostei muito, posso seguir?

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Obrigada por sempre ler e comentar as publicações!

      Excluir